porno seyret porno seyret porno seyret porno indir seks hikayesi escort bayan escort bayan istanbul escort beylikduzu escort istanbul escort
Comissão Própria de Avaliação (CPA)

 

 

APRESENTAÇÃO

Considerando que o Sistema de Educação Federal necessita de regulação orgânica fundada em princípios contemporâneos e respeitando o disposto na Constituição Federal e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira, o presente projeto visa estabelecer as diretrizes para o processo de Avaliação Institucional da FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS – FACISA.

A avaliação Institucional, por um lado, constituir-se-á num processo de análise para compreender os processos existentes em seu interior: a sua vida e funcionamento, os seus avanços e recuos, os seus acertos e sucessos; por outro, num processo permanente de inferências e recomendações que apontem o caminho a seguir a fim de se aperfeiçoar cada vez mais. Nesse sentido, a avaliação deve conectar-se profundamente com o futuro.

 

JUSTIFICATIVA

O momento histórico em que vive a sociedade brasileira na busca de melhores e mais adequadas formas de investigação da realidade educacional e da formação de quadros que dêem conta de interpretar esta realidade, aponta para a necessidade de implantação de sistemas efetivos e permanentes de avaliação do ensino superior e da pós – graduação. As Instituições de Ensino Superior necessitam ter uma consciência clara de suas potencialidades e limites, bem como contar com mecanismos capazes de indicar , com clareza, as diretrizes e metas futuras.

A gestão educativa tem papel fundamental para a viabilização do processo avaliativo nas instituições educacionais. A essência da administração é intervir na busca de objetivos, realizando-se plenamente enquanto caráter mediador. Nas Instituições de Ensino Superior, o caráter mediador deve dar-se de forma que tanto as atividades-meio (direção, serviços administrativos, limpeza, atendimento aos alunos, pais, comunidade em geral), quanto à própria atividade –fim (relação ensino e aprendizagem) estejam impregnadas dos fins da educação e da missão das instituições nesse nível de ensino.

Nesse contexto, a Avaliação Institucional certamente contribuirá significativamente para que a FACISA repense permanentemente as suas práticas de forma crítica e comprometida, refletindo sobre o seu papel na sociedade como disseminadora e promotora do saber capaz de compreender e modificar a realidade.

 

OBJETIVOS

O objetivo principal da avaliação institucional é contribuir para o aprimoramento constante da qualidade, bem como o desenvolvimento da maturidade institucional. A avaliação, nesse sentido, se coloca como instrumento capaz de assegurar continuidade e aperfeiçoamento institucional. A complexidade desse processo remete à possibilidade de definição de uma visão sistêmica de avaliação, batizada por princípios democráticos e, simultaneamente capaz de com modularidade e plasticidade, valorizar a diversidade e heterogeneidade das instituições.

O compromisso institucional da FACISA visou manter equilíbrio no domínio complexo da relação entre Autonomia, Financiamento e Avaliação, conforme orientações emanadas do MEC. Esse comprometimento baseou-se nos princípios de gestão democrática, resultado da qualidade, equidade, transparência e eficiência.

 

INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO

Considerando os pressupostos que embasam a avaliação institucional da FACISA e os objetivos propostos no presente projeto, serão aplicados questionários aos alunos, coordenadores, professores e funcionários da instituição e, ainda, a representantes da comunidade, os quais serão previamente testados. Na seqüência, os dados serão tabulados e, com base nos mesmos, construídos os gráficos, o que permitirá a análise por parte dos pesquisadores.

 

INDICADORES DE QUALIDADE E MENSURAÇÃO

Assim, considerando as mesmas orientações do MEC, os parâmetros que direcionam o processo avaliativo foram remetidos para: melhoria da qualidade do ensino, atualização docente, reforma curricular, redução da evasão, desenvolvimento de pesquisa, atividades de extensão e relações com a comunidade, capacidade gerencial e racionalização do uso de recursos humanos e financeiros.

Coerente com o compromisso assumido pela FACISA no que se refere à qualidade do ensino superior, a relação dinâmica entre autonomia, financiamento e avaliação, visando contribuir para a constante e progressiva excelência do ensino como a condição necessária e indispensável para a manutenção única das IES na sociedade, participarão da avaliação os discentes, docentes, coordenadores de cursos, funcionários, representantes da sociedade (setores primário, secundário, terciário, prestação de serviços e educação) e alunos egressos. Serão avaliados onze quesitos principais (desdobrados em outros), em nível quantitativo e qualitativo, a seguir descritos, visando contemplar a Lei N° 10.861:

Além dos sujeitos participantes da avaliação, serão avaliados órgãos de apoio e suplementares a fim de que sejam contemplados nesse processo os recursos indispensáveis à concretização do fazer pedagógico, referentes ao ensino, pesquisa e  extensão, que seguem abaixo:

 

  • Auto Avaliação do Aluno/Professor/Coordenador
  • Coordenação de Curso
  • Desempenho do corpo docente, as disciplinas do curso
  • Infra-estrutura
  • Biblioteca
  • Direção
  • Órgãos de Atendimento (Secretaria Acadêmica, Tesouraria, SAE)
  • Serviços Terceirizados (Cantina, Central de Cópias)
  • Manutenção e Limpeza.

 

Os indicadores apresentados constituem-se como ferramentas estratégicas de gestão e têm como característica própria à mensuração. Um indicador é uma informação estatística relativa a uma determinada situação, que se relaciona com as características permanentes da organização da missão da FACISA.

Os indicadores de gestão são apresentados, portanto, como uma relação matemática que  mensuras atributos de um processo ou de seus resultados com o objetivo de comparar a métrica, advinda de eventos reais com metas padrão estabelecidas. Segundo Boclin (1999, p.300), os indicadores devem distanciar-se de seus atributos subjetivos, ter condição de regularidade e freqüência, serem comparáveis no tempo, compatíveis na sua formulação teórica, relevante na tomada de decisões e comportar uso sistemático e de apuração simples.

Para Brandalise (2002, p. 113), “Um indicador por si só pouco revela sobre a complexidade do cotidiano escolar, mas as possibilidades estratégicas de elaboração, utilização e analise de indicadores múltiplos de elevada correlação, permite tirar conclusões e tomar decisões importantes para a organização e funcionamento da instituição”.

É, nessa perspectiva que se acredita que a avaliação propicia “a certeza da localização exata do problema [...]. O que tem significado é a construção para a resolução do problema que a avaliação como ‘organizador’ proporciona. Porque em verdade, a situação não será muito igual para o futuro” (LEITE; MORASINI, 1997,p.145).

Isto posto, segue-se abaixo, a forma de pontuação e mensuração dos indicadores, referentes à avaliação realizadas pelos docentes,discentes,funcionários e coordenadores. Já em relação a avaliação realizada pela comunidade local, dos egressos e o levantamento sócio-econômico dos acadêmicos é utilizada uma forma de pontuação e mensuração diferenciada.

 

 

Opinião acadêmica 

Em branco

Não posso opinar, pois não tenho opinião formada

1

Ruim

2

Regular

3

Bom

4

Muito Bom

5

Ótimo

 

RELATÓRIOS DA CPA

1º relatório parcial - FACISA 1783

 

2º relatório parcial - FACISA 1783

 

 

Atualizado em: 18/07/2016

 
 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
porno indir porno seyret